segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Eleições 2014

domingo, 26 de outubro de 2014

Possível envolvimento da campanha anterior de Dilma na corrupção da Petrobrás


Olá a todos!


Atualmente está rondando na boca dos brasileiros a última reportagem publicada pela revista Veja afirmando que o delator no processo do "Petrolão", Alberto Youssef, afirmou definitivamente que tanto a presidente Dilma Rousseff quanto o ex-presidente Lula possuíam plena ciência da corrupção envolvendo a Petrobrás.

Capa da referida edição da revista Veja

Para acessar a reportagem no site da Veja, clique aqui.

As reações à reportagem foram variadas: algumas pessoas, sem nem mesmo terem acesso à mesma (mas tão somente à reportagem de capa), já trataram o caso como "fato consumado" ainda que o delator nem tenha apresentado as tais provas em favor de sua afirmação. Já outros passaram a reagir contra a reportagem seja na forma de sátira, criando diversas capas falsas da revista, seja na forma de negação, como se o fato de dizer algo contra a sua opção de voto fosse necessariamente equivalente a uma mentira, ou mesmo por meio de vandalismo como ocorreu em frente ao prédio da editora Abril responsável pela impressão da revista (clique aqui para ver um vídeo mostrando a situação).

Todavia, as delações contra o PT e Dilma não começaram na última terça-feira: o delator do processo já havia informado anteriormente que a campanha de Dilma nas últimas eleições havia usado dinheiro vindo do esquema. Ou seja, um envolvimento da cúpula do PT não chega a ser surpresa.

Para ver uma matéria contando o caso, clique aqui.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

Provérbio


Olá a todos!


Segue o provérbio do dia:

Nenhuma ideologia isenta alguém das consequências naturais e lógicas de agir como um idiota.
Lionel Loquias 


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

sábado, 25 de outubro de 2014

Rodovias federais pioraram no governo Dilma


Olá a todos!


O Estadão publicou recentemente uma reportagem notando a piora no estado de qualidade das rodovias brasileiras durante o governo de Dilma Rousseff. Em suma isso significa dizer que o que nunca foi grandes coisas conseguiu ficar ainda pior.

Para acessar a reportagem, clique aqui.

Interessante notar o dado afirmando que as rodovias sob administração privada obtiveram os melhores resultados.


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil

The Economist manifesta defesa por candidato Aécio Neves


Olá a todos!


Há um tempo atrás, eu publiquei uma postagem afirmando que a revista americana Forbes havia defendido cinco razões para não se votar em Dilma¹. Dessa vez, uma outra revista ligada às questões financeiras, a The Economist, publicou uma matéria de capa apoiando o voto em Aécio como a melhor opção para o que o realmente importa: tirar a administração da Dilma Rousseff e do Partido dos Trabalhadores do poder.

Talvez a frase à seguir represente boa parte da defesa da reportagem:

A maior ameaça aos programas sociais do Brasil é a má gestão econômica do PT.

A reportagem salientou o fato de ter sido a gestão econômica do PT no governo de Dilma Rousseff o maior problema, entendendo que, até a entrada do seu governo, o Brasil estava numa direção aceitável.

Capa da revista contendo a reportagem

Para ver uma reportagem no site de Aécio Neves comentando a publicação da The Economist, clique aqui.

Para ler outras reportagens da The Economist sobre o Brasil, clique aqui.

Vale lembrar que a referida revista não é parcial com respeito à sua análise: a mesma revista foi quem, em 2009, publicou uma famosa reportagem de capa mostrando a estátua do Cristo Redentor no Rio de Janeiro decolando, parabenizando o crescimento brasileiro, e também em 2013 publicou outra reportagem de capa já falando dos problemas que a nação estava enfrentando em função da administração no governo de Dilma Rousseff.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil


¹: Para ler a postagem, clique aqui.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

A vida de trabalhadora de Dilma Rousseff e as acusações contra Aécio Neves


Olá a todos!


Li recentemente alguns comentários no Facebook atacando o candidato à presidência Aécio Neves por ele ter conseguido um alto cargo na Caixa Econômica Federal logo aos seus 25 anos de idade por provável influência política de Tancredo Neves; dada a baixíssima idade para o nível do cargo em questão, a situação foi realmente digna de críticas mesmo sendo Aécio um economista (será que não havia na época economistas ou administradores mais experientes e capazes do que um jovem de 25 anos?!)

O problema é que esse tipo de acusação pode acabar se tornando uma piada caso o lado oposto ao atacado é culpado do mesmo problema. 

Inicialmente poderíamos imaginar fazer uma crítica a uma recente nomeação de um juiz ao Superior Tribunal de Justiça que pareceu demasiadamente jovem para o cargo (a acusação é que se trata de um militante do PT e, portanto, seria estratégico para o partido que ele estivesse lá quase que independente da sua competência ou da existência de candidatos mais experientes) ou à nomeação de Letícia Mello para o cargo de desembargadora também por Dilma por provável influência política apesar dos testemunhos de sua competência¹.

Mas essas "contra-acusações" seriam pequenas diante daquela que praticamente transforma os acusadores de Aécio em hipócritas: ao que tudo indica, praticamente todos os cargos políticos que Dilma Rousseff conseguiu ao longo de sua vida antes da presidência foram conquistados não por mérito, mas por influência e "joguinho" político.

Para conferir uma reportagem comentando os 5 cargos que Dilma ocupou por indicação, clique aqui.

Dilma Rousseff trabalhando num dos seus vários empregos ganhos por indicação, segundo a matéria da BuzzFeed

Não bastasse isso, parece que a atual presidente ainda é culpada por ter recebido pagamento por um cargo que não chegou a exercer na maior parte do tempo em que foi oficialmente trabalhadora na função. Para ler uma postagem comentando essa situação, clique aqui.

Analisando os links acima, eu pergunto: apontar a sujeira no prato do outro não elimina aquela que está no seu², mas não é no mínimo patético que se acuse Aécio de ser um beneficiado quando a candidata que se defende encontra-se no mesmo grupo - 5 vezes mais?!


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil


¹: Para ler uma reportagem comentando o caso, clique aqui.
²: E tentar desviar o foco da sua culpa apontando para a culpa alheia é uma falácia chamada "tu quoque".

28 aparentes boatos sobre Aécio Neves revistos


Olá a todos!


Aqueles que estão acompanhando as defesas e ataques políticos na mídias e redes sociais devem ter percebido que muitos dos que estão envolvidos no debate estão mais preocupados em acusar imoralidades na vida do candidato opositor do que discutir as respectivas propostas de campanha e seus fundamentos. Tal comportamento me parece patético mesmo que consideremos ser útil averiguar acusações de imoralidade; afinal, se verdadeiras, elas podem ajudar a compreender melhor em quem estamos votando e ajudar na escolha do voto. O problema está em achar que acusações de imoralidade são mais relevantes do que análise das propostas.

Também tenho percebido uma coisa nesse contexto: o PT e seus defensores parecem ter se apegado com maior força a esse (baixo) nível de ataque a tal ponto de um jornal estrangeiro, o Financial Times, ter recentemente publicado uma reportagem sobre essa movimentação dos militantes pró-Dilma - evidenciando que até o nome da nação está sendo mal-exposto ao estrangeiro por conta desse mal comportamento.

Exemplo de boato espalhado na internet (como o site e-farsas mostrou,
tudo indica que não passa de uma mentira)

Para ler a reportagem da ISTOÉ comentando a reportagem do Financial Times, clique aqui.

Entre as más ações realizadas por defensores da candidata Dilma, já foram encontrados fortes evidências de terrorismo eleitoral (tanto por telefone quanto mensagens enviadas por SMS), calúnia, distorção dos fatos e de afirmações, difamações inverídicas e por aí vai. O número de ítens é grande o suficiente para alguém ter criado uma lista contendo uma revisão a 28 boatos sobre Aécio Neves aparentemente criados e disseminados pelos eleitores pró-Dilma.

Para acessar a lista com a análise dos alegados boatos, clique aqui ou aqui.

Pessoalmente não achei todas as respostas satisfatórias, mas tendo pesquisado um pouco alguns dos referidos boatos, confirmo que algumas acusações são realmente falsas. 


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil


Observação: Aécio não foi o único vítima de boatos. O site E-Farsas também publicou uma matéria contendo alguns boatos referentes à Dilma Rousseff. Para acessá-la, clique aqui.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Não é só a Petrobras: Eletrobras possui sérios problemas por causa da administração petista


Olá a todos!


Muito se fala nos problemas econômicos pelas quais a Petrobras está atualmente passando por conta da má administração petista. Todavia, essa não é a única empresa que está sendo prejudicada por conta das mesmas causas: a Eletrobras, uma empresa voltada para o setor elétrico, possui um enorme rombo de aproximadamente 13 bilhões de reais causados pela má gestão que o governo federal tem feito nela. Usada para fins políticos, o estado da empresa tem se deterioridado cada vez mais sobretudo após o "ataque" que o governo fez aos lucros das empresas do setor após a MP 579, medida que corta o lucro de tais empresas com o fim de diminuir o custo da energia para os consumidores (ironicamente, esse custo está para aumentar significativamente à partir de 2015).



Para lerem a reportagem completa do O Globo comentando a situação da Eletrobras e como ela chegou ao vale em que se encontra, clique aqui.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

A inadequação da mentalidade da Dilma para o cargo de presidente


Olá a todos!



Há algum tempo atrás, o site de notícias Spotniks publicou uma reportagem falando do testemunho de trabalho junto ao atual governo de uma pessoa cujo nome, por motivos de segurança, não foi revelado.

De acordo com esse sujeito, ele trabalhou próximo à presidente Dilma Rousseff quando presidente da República e, após sua avaliação pessoal, afirmou enfaticamente que pretende votar em Aécio para presidente. O motivo: a presidente Dilma não possui a personalidade apropriada para governar

Enquanto que é do conhecimento geral que a presidente possui uma personalidade forte, aparentemente sua mentalidade não para por aí desdobrando-se numa pessoa de visão sem senso de auto-crítica, impositora de ideias e que despreza o conselho de outras pessoas em favor de sua visão pré-moldada das coisas. Abaixo cito a parte mais relevante do texto ao qual me refiro:

Nos últimos quatro anos, estive relativamente próximo ao dia-a-dia do governo Dilma. Tê-lo presenciado de perto é o que me faz ter certeza da escolha de Aécio. Percebi na pele – menos na minha e mais na de variados secretários, diretores, coordenadores e assessores espalhados por toda a Esplanada dos Ministérios – o autoritarismo perpetrado pela atual presidente. Autoritarismo que parte dela e, como uma onda, espalha-se por quase todos os seus mais próximos no círculo do poder. Autoritarismo que repele sem o menor senso de respeito e educação qualquer opinião contrária à sua, ainda que baseada em fatos e em anos de vivência teórica e prática. Autoritarismo que, transformado em cultura do medo, paralisa a máquina pública de modo jamais visto e impensável para quem não convive com ela diariamente.
Dilma padece de excesso de presunção e falta de autocrítica, o que a impede de ouvir qualquer palavra que não ressoe suas próprias convicções. E, se a crença exacerbada em si mesmo já é perigosa quando justificada, quando desprovida de motivos que a alicercem torna-se o caminho para o retrocesso experimentado nos últimos anos. A pessoa presunçosa e capaz poderia, pelo menos, ser um déspota esclarecido.

Para ler a matéria, clique aqui.

A pergunta que eu faço ao leitor: partindo do pressuposto de que o testemunho está correto, seria essa a personalidade apropriada para o governante máximo de uma nação? Alguém que possui em suas mãos o poder de levar uma nação ao progresso tanto quanto para o desastre?

Se a acusação é verdadeira, talvez seja mais do que hora para nossa presidente aprender as sábias palavras de Sócrates: só sei que nada sei.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Internautas manipulam vídeo de Ivo Sartori e petistas compartilham na internet


Olá a todos!

Recentemente alguns canais na Internet e conhecidos meus passaram a compartilhar uma publicação fazendo referência a um vídeo no qual o candidato ao governo do estado do Rio Grande do Sul, Ivo Sartori, teria debochado do salário dos professores estaduais. Entre os que compartilharam esse vídeo tratando-o como legítimo encontram-se a página no Facebook do outro candidato ao governo, Tarso Genro, e a comunista Manuela D'Ávila.

Print screens do compartilhamento do vídeo por fontes da esquerda política

Todavia, o tal vídeo não passa de uma lementável manipulação do vídeo original distorcendo completamente as palavras do candidato. A observação da manipulação é facilmente perceptível já que há um claro momento de corte no meio do mesmo, além de ter um tempo bastante reduzido inviabilizando o entendimento pleno do contexto no qual as palavras foram proferidas.

Um dos que notou o problema e publicou matéria apresentando o erro foi Felipe Moura que, em seu blog na página da Veja, apresenta tanto o vídeo editado quanto o original e alguns comentários sobre o episódio.

Para acessar a postagem do Felipe, clique aqui.

Embora o vídeo seja uma edição, o episódio respingou na campanha de Sartori que, embora inocente, chegou a pedir oficialmente desculpas pelo ocorrido. O CPERS, por exemplo, acreditando no material, emitiu nota de reprovação à suposta atitude do candidato. O canal da Globo G1 apresentou uma matéria comentando esses respingos (para acessá-la, clique aqui).

Acerca deste episódio, fico a contemplar a que nível de baixaria um eleitor ou pessoa qualquer se submete na tentativa de projetar um candidato ao poder público no Brasil. Não apenas isso, fico me perguntando se tanto a página no Facebook do Tarso quanto a candidata Manuela, sendo seguidos por milhares de pessoas, não deveriam ter sido um pouco mais responsáveis em não sair compartilhando um vídeo claramente manipulado para seus milhares de seguidores. Fico a me perguntar se houve real desatenção da parte destes ou se eles não foram imorais em compartilhar a matéria cientes do problema vigente. Por fim, também me questiono se eles irão desfazer seus compartilhamentos pedindo desculpas pelo ocorrido.


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil

terça-feira, 21 de outubro de 2014

PSDB e o crédito pelo Plano Real


Olá a todos! 


Participei de um debate no Facebook esses dias onde discutiu-se até que ponto o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o partido PSDB possuem o devido crédito pela criação do Plano Real, o plano responsável pela estabilização da economia nacional que pavimentou o crescimento do Brasil nos anos correlatos e seguintes.

A história da inflação em torno do Plano Real

Após algumas discussões e alguns vídeos interessantes, fui levado à reportagem do Estadão à seguir contendo afirmações do ex-presidente Itamar Franco quanto a quem deve-se dar o crédito pelo Plano Real. Pelo testemunho dele, não é ao PSDB.

Para acessar a reportagem, clique aqui.

Se as afirmações tanto do Itamar quanto as que estão presentes nos outros materiais que conferi, mas cujos links não salvei para apresetar no meu blog, forem verdadeiras, me pareceria que o candidato à presidência Aécio Neves não deveria se utilizar tanto do Plano como parte de sua propaganda nos debates sendo realizados - isso sem deixar de fora a questão sobre até que ponto ele está sendo honesto quanto ao seu entendimento do Plano Real ou está deliberadamente se aproveitando da crença popular na participação do PSDB e FHC na criação dessa obra.


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

As correntes de pensamento econômico por trás de Aécio e Dilma


Olá a todos! 


A revista ÉPOCA publicou há alguns dias atrás uma reportagem dos escritores Marcos Coronato e Marcelo Moura contendo uma análise geral das políticas econômicas por trás das propostas dos candidatos à presidência nessas eleições, Aécio Neves e Dilma Rousseff.




Embora tratar-se de uma reportagem que tenha deixado a desejar em alguns pontos (por exemplo, tive a impressão de que o texto foi um pouco mais crítico à Dilma e sua política econômica do que para com a do Aécio), indico-o como leitura recomendada para todos os públicos. Esse tipo de "apegado geral" que se faz sobre uma visão pode ser bastante esclarecedor em tentar-se compreender os fundamentos por trás de uma ou mais propostas dos candidatos em questão.

Para conferir a reportagem, clique aqui.


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil

domingo, 19 de outubro de 2014

A lamentável falta de qualidade nas argumentações pró-Dilma nas eleições de 2014


Olá a todos! 

Há algumas semanas atrás, comecei a acompanhar as postagens publicadas no Facebook e em outros locais na Internet com argumentos usados pelos internautas em favor ou contra um determinado candidato das eleições de 2014. Meu veredicto: lamentável.

Quem me conhece sabe que, ao menos desde alguns anos atrás, passei a me preocupar significativamente com a qualidade de argumentos usados em defesa de uma tese. Essa preocupação me levou a pesquisar os campos da filosofia da lógica e epistemologia e a aprender não apenas como argumentar melhor, como também como avaliar melhor os argumentos dos outros - o que não ocorreu sem passar pelo dolorido processo de ter que admitir que eu tinha falado muita besteira até então!

Minha preocupação com a importância de uma correta avaliação de argumentos me levou ao ponto de ter me proposto a pregar um sermão de quase 3 horas sobre erros de natureza lógica em raciocínios (as assim chamadas "falácias lógicas") na igreja cristã na qual congrego, dando o devido foco à ocorrência desses erros no contexto do Cristianismo. Uma vez usando o conhecimento das falácias, passa a ser mais fácil perceber o surpreendente número de vezes em que erros de raciocínio são usados tanto na crítica à fé cristã como dentro da própria, com destaque para a leitura bíblica - citações fora do contexto, cherry picking, equívoco entre outras aparecem constantemente em pregações e textos cristãos disponibilizados ao público.

Mas não é só na religião ou na filosofia da religião em que falácias "encontram um ninho": a política é um ambiente fértil para as mais bizarras argumentações em prol ou contrárias a um candidato ou visão política. Só que, nessas eleições, o interessante para mim foi perceber que, enquanto era de se esperar exemplos de raciocínios problemáticos em todos os lados das eleições brasileiras de 2014, os defensores da candidata Dilma Rousseff parecem possuir um apreço mais desenvolvido por fazerem péssimos argumentos em favor da sua candidata - ou contra os demais candidatos.


Exemplo de tabela comparativa (pró Aécio) onde casos de
cherry picking são muito comuns


A repetição constante dos mesmos erros de argumentação (não só lógicos, mas científicos) me levaram a pensar em escrever um artigo aqui no blog comentando sobre os erros mencionados, mas optei por cancelar a ideia quando, para minha felicidade, descobri que outra pessoa já havia notado praticamente os mesmos problemas e publicado uma reportagem à respeito numa coluna no jornal Folha de São Paulo. Trata-se do físico e economista Samuel Pessôa em sua postagem intitulada "Bruna Marquezine e a retórica petista".

Para conferir a postagem, clique aqui.

Em resumo, os erros de argumentação e avaliação dos pró-Dilma não se limitam a erros básicos de conhecimento científico (por exemplo, análise errônea de dados estatísticos ou avaliação de uma única variável num grupo de variáveis relacionadas¹), mas também casos de falácias lógicas (creio que cherry picking e defesa de espantalhos estejam sendo as campeãs). 

A pergunta que eu faço para os defensores da candidata:

se é "tão verdade" que ela é a melhor opção para essas eleições, por que usar argumentos tão ruins para defendê-la?


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil


¹: no caso, é necessário que a variável em estudo seja isolada das demais ou, então, que a influência daquelas seja conhecida para que, após a averiguação da variável sob estudo, seja feito o "desconto" da influência daquelas outras variáveis.

sábado, 18 de outubro de 2014

[EN] Provérbio


Olá a todos!

Segue o provérbio do dia que encontrei na página da Wikipédia anglófona sobre John D. Rockefeller:


Gain all you can, save all you can, and give all you can.¹
John Wesley


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil



¹: Ganhe tudo o que você pode, economize tudo o que você pode, e dê tudo o que você pode.

Eduardo Jorge é mais um que confirma que Dilma e Cia. não lutavam por democracia, mas por uma outra ditadura


Olá a todos! 


O site liberdadebr publicou recentemente uma matéria, repetida em outros veículos de mídia, contendo mais uma confissão de um ex-lutador de esquerda da época da ditadura militar, o ex-candidato à presidência Eduardo Jorge, afirmando que eles não lutavam contra a ditadura militar brasileira, mas à favor da implementação de uma ditadura de esquerda.

Para conferir essa reportagem, clique aqui.

O ex-candidato à presidência Eduardo Jorge

Destaco essa parte do texto:

Embora isso não justifique os crimes da ditadura militar brasileira, é algo para se destacar, pois raramente ex-participantes dos movimentos revolucionários comunistas do período da ditadura assumem que pretendiam somente impor outra ditadura, que desprezavam a democracia e a liberdade.


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Lamentável: membros do grupo LGBTT fazendo pressão sobre outros membros ditando-lhes em quem devem votar


Olá a todos! 

Recentemente o autor Guy Franco publicou em seu blog no site de notícias do Yahoo! uma triste postagem: membros do grupo LGBTT estariam fazendo pressão impondo que outros membros do mesmo grupo votassem em candidatos que lhe são de apreço (provavelmente por militarem em prol das causas LGBTTs) e fazendo-lhes perseguição em caso de resposta negativa.

Para conferir a postagem na íntegra, clique aqui.




É como se tivéssemos voltado aos tempos em que um trabalhador de uma fazenda era forçado a votar no seu patrão, um comportamento que aprendemos a repudiar em nossas aulas  na escola. Me pergunto o que faltou na educação desses sujeitos para achar que o seu comportamento é de alguma forma moralmente aceitável!


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Manifesto de economistas contra bobagens da Dilma sobre a economia nacional


Olá a todos! 

Confesso que fiquei "maravilhado" com a reportagem da Veja sobre uma lista de mais de uma centena de economistas brasileiros assinando embaixo que não passa de bobagem a afirmação da candidatada à reeleição e presidente da república Dilma de que a situação atual da economia brasileira se dá por consequência da crise econômica mundial - uma bobagem na qual acreditei há até uns dois anos atrás antes de aprender a investir em ações e, por consequência, aprender a analisar um pouco melhor a administração econômica de uma instituição.

Segue a reportagem na íntegra:

Em manifesto, economistas dizem que crise alardeada por Dilma não existe
Documento leva a assinatura de 164 professores de economia de universidades brasileiras e estrangeiras 


A presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, durante coletiva de imprensa em Brasília, nesta sexta-feita (10)

Dilma Rousseff lança mão do argumento da crise para justificar fracasso econômico (Ueslei Marcelino/Reuters)

Um grupo de 164 professores de Economia de universidades brasileiras e estrangeiras assinou um documento nesta terça-feira rechaçando os principais argumentos defendidos pela presidente Dilma Rousseff para justificar o fracasso econômico de seu governo. Aquele que tem sido o mais usual na gestão da presidente (e em sua campanha pela reeleição) é o de que a crise internacional é a culpada pelos males que afligem o país, como a inflação e a recessão.

Dizem os acadêmicos: "Não há, no momento, uma crise internacional generalizada. Alguns de nossos pares na América Latina, uma região bastante sensível a turbulências na economia mundial, estão em franca expansão econômica. Projeta-se, por exemplo, que a Colômbia cresça 4,8% em 2014, com inflação de 2,8%. Já a economia peruana deve crescer 3,6%, com inflação de 3,2%. O México deve crescer 2,4%, com inflação de 3,9%.1 No Brasil, teremos crescimento próximo de zero com a inflação próxima de 6,5%. Entre as 38 economias com estatísticas de crescimento do PIB disponíveis no sítio da OCDE, apenas Brasil, Argentina, Islândia e Itália encontram-se em recessão. Como todos os países fazem parte da mesma economia global, não pode haver crise internacional generalizada apenas para alguns. É emblemático que, dentre os países da América do Sul, apenas Argentina e Venezuela devem crescer menos que o Brasil em 2014."

Acadêmicos brasileiros de centros como a Universidade de São Paulo, a Fundação Getulio Vargas, o Insper, a Universidade de Yale, a London School of Economics, a Unicamp, a Universidade de Cambridge, a PUC-SP e a PUC-Rio se reuniram para redigir o texto. Segundo eles, a presidente mente ao se dirigir ao grande público: "Ao usar de sua propaganda eleitoral e exposição na mídia para colocar a culpa pelo fraco desempenho econômico recente na conjuntura internacional, se eximindo da sua responsabilidade por escolhas equivocadas de políticas econômicas, o atual governo recorre a argumentos falaciosos", diz o texto. 

Segundo Eduardo Zilberman, da PUC-Rio, a ideia foi escrever um documento apartidário e técnico, justamente para conseguir a adesão de economistas de diversas vertentes ideológicas. "Nossa intenção era mostrar um parecer mais técnico. O fato de conseguirmos tantas assinaturas de um grupo tão heterogêneo reflete isso", afirma. Entre os que endossam o manifesto estão dois economistas ligados à campanha de Marina Silva: Marco Bonomo e Tiago Cavalcanti.

Trata-se da terceira vez que economistas se reúnem em manifesto em pouco mais de um mês. A primeira ocorreu em meados de setembro, quando reportagem de VEJA revelou que o Banco Central havia processado o economista Alexandre Schwartsman por discordar de suas críticas ao órgão. A segunda ocorreu logo após o primeiro turno, quando economistas assinaram um documento pedindo pelo apoio de Marina Silva ao tucano Aécio Neves.

No seio do PT, também houve um manifesto¹. A militância conseguiu, com grande esforço, coletar uma lista de onze nomes encabeçada por Maria da Conceição Tavares, que adotou com desfaçatez o slogan da campanha petista "O Brasil não pode parar" para veicular um texto de apoio à candidatura de Dilma Rousseff. O documento, que mais parece uma peça publicitária escrita pelo marqueteiro João Santana, tamanho alinhamento retórico com o texto discursado por Dilma em sua campanha, afirma que as conquistas econômicas são mérito do atual governo e que a "crise" não pode servir de argumento "para um retorno às políticas econômicas do passado". Outros dois nomes que endossam o texto são Luiz Gonzaga Belluzzo e Nelson Barbosa. O primeiro é conselheiro econômico de Dilma. O segundo foi secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda e tem operado junto ao PT para ser indicado ao cargo de Ministro , caso Dilma se reeleja. 
Referência: link

Então agora vocês já sabem: se algum petista ainda mostrar confiança no discurso da Dilma quanto às causas dos problemas na economia nacional, é só fazer menção ao referido documento.


Que o Senhor seja com vocês, 

Momergil


¹: Para lerem o manifesto aqui mencionado, acessem esse link.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

A precária situação alimentar em Cuba


Padaria cubana


Olá a todos!

Quando uma ideologia não consegue cumprir o objetivo de trazer à sociedade por ela "abençoada" todos os ítens necessários ou desejáveis para se ter uma vida agradável, mesmo depois de muito tempo de implementação, eu diria que temos um caso de fracasso. Parcial, pode ser, mas ainda assim um fracasso. Agora, quando uma ideologia, nessas mesmas condições, falha em trazer à população até mesmo aquilo que mais prega, aquilo no qual "mais bate na tecla", há como ainda ter alguma dúvida de que ela simplesmente não presta?

Há alguns dias, o site the notícias Spotniks mostrou uma matéria falando da situação alimentar em Cuba. Como um país socialista, esperávamos que o amor à classe operária e aos pobres teríam levado esse suposto maravilhoso sistema - a resposta aos males capitalistas!! - a uma situação onde a pobreza não existiria, onde todos teríam perfeitamente o que comer e onde apenas o bens extravagantes do capitalismo não estariam presentes - Ferraris, iates, etc.. Mas a situação parece ser bem ao contrário: na Cuba de Fidel, nem mesmo o básico da propaganda socialista se cumpre.

Em resumo: para muitos, isto é, para aqueles que não curtem várias manções ao longo do território cubano - não é, Fidel? - e tampouco são privilegiados por estarem próximos ao poder, bem como para aqueles que não são consideráveis empresários, a classe operária - a mais pobre, aquela que era para ter sido tão bem defendida pelo socialismo pregado - está em muito à beira da miséria. 

Para acessar a matéria na íntegra, clique aqui.

O mais irônico, todavia, é que contrário ao bom senso, muitas pessoas continuarão a defender tanto o socialismo quanto o regime ditatorial cubano - mesmo sabendo perfeitamente dessa situação.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Problemas da refinaria eram conhecidos, mas o caso foi arquivado


Olá a todos!


Ao que parece, os problemas de superfaturamente na construção da refinaria Abreu e Lima haviam sido notados ainda em 2009 com o conhecimento da atual presidente, Dilma, mas ao invés de receberem o devido tratamento investigativo para definir-se o que se passava e punir os eventuais culpados, o caso foi arquivado. 

Para conferir a reportagem na íntegra do jornal O Globo, clique aqui.

A pergunta que fica: e agora? O dinheiro será recuperado (ou ao menos parte dele)? Os culpados serão punidos? Ou vamos ficar a ver navios?


Como que fica agora, companheira Dilma?


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

[EN] Dicas para não sermos ludibriados por "dados estatísticos"


Olá a todos!

Se há alguma coisa que me desgosta no âmbito de ciência, essa é pessoas que utilizam-se de dados estatísticos para [mal] fundamentar as mais birutas conclusões, totalmente desconexas dos dados amostrados. 

Assim sendo, fiquei feliz em descobrir um tópico no Quora falando justamente sobre "como saber se alguém está tentando de ludibriar com estatísticas". Várias interessantes respostas foram dadas e recomendo que vocês confiram-nas todas, mas uma que me chamou a atenção pela sua considerável qualidade foi aquela dada por Jacob VanWagoner e que reproduzo à seguir:


1) When they use metrics that sound good at first, but don't actually mean what they're trying to suggest.


For instance:

80% of all Camrys sold in the last 20 years are still on the road!

The metric suggests "oh yeah, they're really reliable," but think hard about it.

Maybe 80% of all Camrys sold in the last 20 years were sold within the last 10 years?  That doesn't say much for reliability, does it?  In fact, that would suggest that they don't make it past 10 years.

In any case, I don't mean to disparage the Camry, as I do think it is a nice car, but the metric has absolutely no meaning unless you have a lot more information.

Perhaps if they wanted to really show reliability, they would have put it as "80% of all Camrys 20 years or older are still on the road!"  Now that would say something about reliability.

2)  When they declare something effective without comparing it to the alternative of doing nothing, or without comparing it to alternatives.


The first example that comes to mind is vented ashtrays.  I remember reading a study about them.  They were made to help dissipate indoor smoke back when smoking indoors was popular.  An experiment was conducted to evaluate how effectively they cleared smoke from a room, and it was found that leaving the vents off the ashtrays turned out to be more effective than putting the vents on.  But the marketing team behind the product took the results that said sure, the smoke clears out with these vents, but not having the vents is better and cut it down to the smoke clears out with these vents.

Thinking about it further, it seems like comparing against "doing nothing" (placebo effect) is the gold standard for evaluating medical treatments, with a confidence result of p = 0.05 for a single-sided t test being enough to say "LOOK AT THIS IT IS EFFECTIVE!!!1!!!11!!!!"  What is not required is a comparison against cheaper alternatives, and that ought to be the gold standard -- benchmarking against competition instead of simply declaring effectiveness.

Leaving off information about alternatives is deceptive.  Seriously -- if you want to prescribe me Vicodin for my pain, it had damn well be more effective than Tylenol at making my pain tolerable, or else you have convinced me to waste money.  (incidentally, this was my experience when I got my wisdom teeth out.  Ibuprofen was just as effective at reducing the pain as Vicodin, but Vicodin was a lot more expensive and came with a 'high' that I really hated).

3)  Implying causation from correlation.  Period.

I'll just leave this here for you to laugh at.
Yarrgh, we be punishin' yer punishin of our sacred brotherhood by raisin' yer ocean temperchurs.  Long Live BlackBeard!

Same goes for debates on guns, drugs, education, government spending in general, and so, so much more.

4)  Any other omission of information.

I'll borrow some text from Richard Feynman here, emphasis mine.
Now it behooves me, of course, to tell you what they're missing [...] But there is one feature I notice that is generally missing in cargo cult science. That is the idea that we all hope you have learned in studying science in school--we never say explicitly what this is, but just hope that you catch on by all the examples of scientific investigation. It is interesting, therefore, to bring it out now and speak of it explicitly. It's a kind of scientific integrity, a principle of scientific thought that corresponds to a kind of utter honesty--a kind of leaning over backwards. For example, if you're doing an experiment, you should report everything that you think might make it invalid--not only what you think is right about it: other causes that could possibly explain your results; and things you thought of that you've eliminated by some other experiment, and how they worked--to make sure the other fellow can tell they have been eliminated.
From Cargo Cult Science, delivered to Caltech students at commencement, also included in Surely You're Joking, Mr. Feynman.

It's really easy to be deceived by statistics.

What's really hard is to not be deceived.  Seriously, any time someone uses statistics to back up their point, it's likely that there's some kind of deception in there, whether that deception is an intent to deceive you, or the person relaying it to you has been deceived, or if the person gathering the data has somehow deceived themselves (i.e. confirmation bias).
Referência: Link

Que tenhamos esses pontos em mente na próxima vez que alguém nos apresentar esses gráficos!


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

A Forbes e 5 razões para não votar em Dilma Rousseff em 2014


Olá a todos!

Confesso que, ao ressuscitar esse blog, não tinha a pretenção de torná-lo algum tipo de "página de militância política" pró ou contra governo algum, em especial em tempos de eleições. Todavia, é um pouco difícil de se opinar sobre um determinado tema, especialmente na política, sem que haja a vinculação às pessoas que estão por trás da justificativa de se tratar sobre tal tema - geralmente as pessoas que estão causando o problema sendo abordado.

É nesse contexto que compartilho a notícia de que a revista americana Forbes publicou recentemente uma matéria com 5 razões para não se votar em Dilma nas eleições de outubro próximo.

Em resumo, as razões são:

  • O Brasil não cresceu tanto quanto poderia (e deveria) sob seu governo
  • Má administração da maior estatal do país (Petrobrás)
  • Estratégia questionável de manter inflação em alta para manter empregos
  • Descontrole irresponsável da dívida pública (um dos pontos que eu mais me indiguino contra o atual governo)
  • Não promoção das mudanças para tornar a vida dos pobres melhor (algo parcialmente questionável, já que o atual governo manteve programas como Bolsa Família e Minha Casa, Minha vida que agem nesse sentido, embora seja verdade que o crescimento da inflação, do analfabetismo e da desigualdade de renda agem contra a presidente em sua ideia de um governo para os pobres)

Dilma Rousseff: Poderosa, mas não tão competente quando poderia


Para conferir a matéria na íntegra, clique aqui.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

Charge sobre parte do Cristianismo moderno


Olá a todos!

Segue uma interessante charge indicando algo sobre o qual podemos refletir: a situação de parte do Cristianismo moderno:




Que o Senhor seja com vocês,

Momergil