sexta-feira, 29 de agosto de 2014

[EN] Conselho para sucesso


Olá a todos!

Confesso que, desde que descobri o Quora, estou cada vez mais "animado" em aprender com as várias páginas de conteúdo lá presente! Muitas das perguntas postadas são bem criativas e realmente chamam a atenção, isso sem falar na comunidade que as responde, muitas vezes com membros ilustres ligados às mais relevantes instituições.

Um dos tópicos que me chamaram a atenção é o "What is the best advice for an ambitious kid born into a poor family with no resources, information or support?"¹ que recebeu várias respostas interessantes e bastante coerentes. Uma delas, particularmente, chamou a minha atenção e desejo compartilhá-la aqui, à saber, a resposta do Brandon Lee²:

Ambition lights up a fire and leaves you restless, whatever your condition be. So I am sure you would attain success in life. My advice would be to always remember the following: 

Two things define you: your patience when you have nothing, and your attitude when you have everything.

Based on this:
  • Always win on merit, not compassion
Whatever you achieve, make sure people acknowledge that you deserved every bit of it. Don't try to earn compassion and undue opportunities from people by telling them about your poor status. It won't help you in the long run and you would lose respect of your peers. Believe in patience, hardwork and perseverance.

  • Always show compassion, not merit
When a person shifts from a small town to a city, there is a tendency to develop a feeling of haughtiness and superiority. This is natural - you now have more money and better standards of living than anyone else in your poor town. You start considering them as trash and neglecting them. Don't do it. After you have achieved enough, try to fulfill your parents and siblings dreams. Help someone poor, who is now in the same boat as you were.
Best wishes, may the force be with you.

Após essa leitura, recomendo que também leiam as demais respostas lá colocadas; outras também são realmente boas!


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

¹: Qual é o melhor conselho para uma criança ambiciosa que nasceu numa família pobre sem recursos, informação ou suporte?
²: Que, por sinal, também chama a atenção por ter um nome idêntico ao do filho do artista marcial Bruce Lee, tragicamente falecido na produção do filme O Corvo.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Demóstenes Torres inocente!


Olá a todos!


Como já deve ser do conhecimento da maioria, nem sempre a justiça é justa. Ontem saiu a notícia (aqui referenciada pelo Diário do Poder) de que o ex-senador Demóstenes Torres, condenado há não muito tempo e que perdeu o seu mandato por conta do evento, era, afinal, inocente.

A matéria completa relatando como se chegou a tal conclusão pode ser lida à partir desse link.

Em situações como essas algumas ponderações brotam imediatamente para a nossa reflexão:
  1. Será ele compensando pelo sistema jurídico pela falha cometida? E ainda que haja tal compensação, será ela realmente equivalente aos danos causados - extendidos não apenas à sua carreira política, como também à sua imagem e reputação?
  2. Os meios de notícia irão repercutir esse novo evento com a mesma ênfase e amplitude (sobre a audiência) com a qual propagaram a notícia da sua condenação e cassação?
    1. Ou quem sabe ainda mais do que antes, tendo em vista que propagar a inocência de uma pessoa é, sem dúvida, mais importante do que propagar a sua culpa?¹
  3. E, finalmente, por que as coisas procederam deste modo? Digo, por que ele foi punido antes que tal estudo tivesse sido executado? Pressa em feri-lo? As evidências até então eram mesmo tão convincentes?


Da minha parte "justiça" é o que eu menos espero na vida de Demóstenes daqui pra frente, sobretudo no curto prazo.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil


¹: Ao menos do ponto de vista do indivíduo que sofreu o agravo. Vale ressaltar que o ideal seria que todo sujeito que ficou convencido da culpa de uma pessoa ficasse sabendo de sua inocência e propagá-la com maior ênfase do que como foi com a notícia de sua alegada culpa é um meio de aumentar as chances de se chegar a tal resultado (tendo em vista que é bem provável que nem todos tenham acesso à novidade caso ela seja afirmada em simples e rápida notícia).

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

[EN] Um "salve!" a Ignaz Semmelweis


Olá a todos!

É interessante que, muitas vezes, pessoas que não merecem parabenizações e 'salves' de heroísmo acabam por ganhá-lo (e.g.: os supostos heróis da Revolução Farroupilha no Rio Grande do Sul e ditadores da região) enquanto outras, que deveriam ter ruas com os seus nomes, acabam por ser esquecidas.

Recentemente descobri por acaso um desses nomes injustiçados: Ignaz Semmelweis. Uma pesquisa na sua página na Wikipedia faz-nos perceber que, dentro da comunidade médica e do ramo da filosofia da ciência, o seu nome é bastante conhecido - inclusive teve seu rosto cunhado numa moeda promocional há pouco tempo atrás. Todavia, trata-se de um personagem que é esquecido pela população em geral, mesmo entre os com mais instrução (que muitas vezes preferem ovacionar ídolos da música¹ e memorizar suas biografias inteiras do que reconhecer aqueles que mais contribuíram para um mundo melhor).

Ainda que sua história possa ser lida na própria Wikipedia (conferi o artigo e me pareceu bastante decente), sugiro que o façam através da pergunta lançada no Quora "What are the best examples of the law of unintended consequences in action"², acessível por meio deste link, onde Arjun Subramaniam comentou sobre o episódio que deixou Semmelweis famoso. (recomendo também que leiam as outras respostas!)



Que o Senhor seja com vocês,

Momergil


¹: que algumas vezes vejo-me no direito de chamá-las de "pseudo-músicas"
²: "Quais são os melhores exemplos da lei de consequências não-intencionais em ação"

terça-feira, 26 de agosto de 2014

O previsto fim da alta de imóves chegando


Olá a todos!

Recentemente o site de notícias Spotniks (ideologicamente vinculado ao liberalismo) publicou uma matéria entitulada "Venda de Imóveis em São Paulo caem 72,3%" comentando os mais recentes números relacionados ao setor imobiliário, especificamente à venda de imóveis, naquela região.

Aparentemente a previsão de alguns economistas está se cumprindo: a de que, logo após a Copa do Mundo deste ano, os preços de venda de imóveis brasileiros iriam finalmente começar a baixar. De fato isso já era bastante esperado tendo em vista tanto o conhecido alto endividamento do povo brasileiro (provável resultado do excesso de crédito aberto à economia nacional nos anos anteriores de 'fartura') como a entrada em decadência da economia nacional em função das más decisões econômicas tanto do governo Dilma (executados em reposta à crise financeira mundial) como do governo Lula (especificamente a expansão demasiada do consumo interno).

Para aqueles que esperaram o "momento certo" para executar uma compra, tem-se aí uma boa notícia. Para aqueles que, apressadamente, compraram um imóvel recentemente e não pretendem vendê-lo por conta de suas estratégias pessoais, o descontentamento de ver parte do seu dinheiro virar pó com a simples passagem do tempo.



Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

[EN] Provérbio do dia


Olá a todos!

Provérbio do dia:

Everytime you fail, you learn a new way which causes failure. Wise people remember it and never fail the same way again. Fools do otherwise.
Akshat Jaiswal

Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

Novidade: Provérbio do dia


Olá a todos!

Em meus "passeios" por vários blogs, percebi que há alguns que possuem um costume: de tempos em tempos, a cada meia dúzia de postagens ou algo parecido, tais blogs publicam uma postagem contendo uma foto sexualmente atrativa (geralmente uma mulher seminua). Parece-me que tais postagens são criadas mais provavelmente para chamar a atenção de navegadores avulsos para o blog do que para dispôr algum valor propriamente dito, mas o fato é que vários blogs possuem tal costume.

Inspirado nessa ideia, decidi recentemente fazer algo semelhante no meu blog - mas com algo bem mais proveitoso (e infelizmente menos midiático): postar citações, provérbios que encontro por aí que me parecem falar sábias verdades. Para que os mesmos possam atingir maior 'audiência', procurarei fazê-los sempre em inglês. Também me reservarei o direito de alterar um pouco tais provérbios, mantendo o valor original, se eu perceber que há uma forma melhor de expressá-los.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

A situação da economia brasileira

Olá a todos!

Há um tempo atrás, a página do Facebook Porco Capitalista (vinculada ao site de mesmo nome) publicou comentários interessantes sobre a situação atual da economia brasileira - que, como todos os interessados em economia já devem estar sabendo, não anda nada boa e segue em direção a um considerável abismo para os próximos dois ou três anos, uma situação única entre os países emergentes.

Segue a reflexão:

O Brasil está num beco sem saída. A economia é um jogo de equilíbrio entre contas públicas, impostos, inflação, câmbio e juros. Em momentos de dificuldade, quando um deles foge do controle, o governo usa uma variável para compensar a outra. Por exemplo, aumentar juros para controlar a inflação, etc.

No Brasil todas estas variáveis estão no limite.
Há tempos ouvimos que no Brasil os juros estão altos, que os impostos estão altos, que a inflação está alta, o dólar está alto e o crescimento do PIB, este é o único que está lá em baixo.
Só resta uma alternativa para o Brasil: Cortar gastos.
Mas cortar gastos tem um custo político. Envolve cortar a mamata de muita gente, cortar benefícios, cortar assistencialismo, cortar ministérios, cortar cargos públicos, enfim, cortar toda esta moeda de troca que o governo usa para comprar voto e apoio político.

Das duas uma: Ou o PT terá que tirar a teta em que muita gente está mamando, e isso deixará as pessoas descontentes, perdendo apoio político ou mantém tudo como está, mas em compensação, a inflação, os juros e os impostos aumentam, O PIB, que já não cresce, se contrai, entramos em depressão e o desemprego aparece, o que também vai gerar descontentamento.

De qualquer forma, vamos nos ferrar. Tinham que ter feito alguma coisa lá em 2007, quando não tinha crise internacional e o Brasil ia muito bem. Tinham que ter incentivado a produção, mas ao invés disso, o governo incentivou o consumo. Tinham que ter facilitado para quem queria abrir empresas, investir em equipamentos e máquinas modernas, construir infra-estrutura, etc, e não para quem só queria financiar carro novo, casa nova, eletrodoméstico, etc.
Ora meu Deus do céu! Como é que alguém espera que um país cresça privilegiando o consumo ao invés da produção?

Agora, qualquer coisa que façam, mesmo que seja a coisa certa, vai doer e vai deixar muita gente descontente.

Estejam preparados para o pior!
Referência: Link



Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Dicas sobre como escolher um candidato nas eleições

Olá a todos!


Com as eleições chegando, vem a pergunta: como escolher bem um candidato?

Notemos primeiramente que existe uma diferença entre "escolher bem um candidato" e "escolher um bom candidato": a primeira colocação diz respeito aos métodos empregados na escolha, enquanto que a segunda diz respeito ao alvo dessa escolha. Pergunta-se: o que podemos entender acerca dessas duas colocações? A resposta clara é parecida com aquela que se vê no setor de produção das indústrias: processos com qualidade levam à produtos com qualidade, enquanto que processos sem qualidade levam a produtos sem qualidade. Esse é um conhecimento do mercado  com o qual temos muito o que aprender, pois algo análogo ocorre em muitas outras áreas da vida - escolha de profissão, companheiro(a) e, também, candidatos nas eleições.

Sobre essa questão, o Yahoo! publicou recentemente uma reportagem intitulada Como Escolher um Candidato?, escrita por Plínio Fraga, que dá umas dicas sobre como raciocinar na hora de escolher o seu candidato. Não digo que as dicas seja uma maravilha, mas vale à pena dar uma conferida.

Talvez haja ainda outros materiais na internet (até mesmo de eleições passadas) falando do assunto e que poderiam ser complementadas (sintam-se livres para adicionar links a elas nos comentários!), mas creio que essa reportagem do Yahoo! já trás boas dicas iniciais sobre como fazer um bom processo de escolha. Um estudo compreensivo de uma "metodologia definitiva" (ou o mais próximo disso quanto possível) requeriria toda uma análise sobre quais características são desejáveis ou não em um político para cada cargo em específico, como identificar se tais características estão presentes em cada um dos candidatos e, por fim, as "coisas menores" como critérios de desempate. Por hoje, ficamos por aqui.



Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

Investimentos e os temores quanto ao Brasil do futuro

Olá a todos!

Há alguns dias atrás, o meu professor de investimentos em renda variável, Eduardo Leitão, publicou uma postagem em seu blog Leitão em Ação acerca dos temores quanto ao futuro do Brasil no curto prazo e o seu impacto nas decisões de investimento. Para aqueles que estão pensando em mudar suas aplicações por conta desses temores (em parte bem justificados, diga-se de passagem) ou mesmo para quem deseja aprender um pouco mais sobre investimento corretamente feito, eu recomendo a leitura.

Investidor, não é o fim do Brasil!

Após essa postagem, o professor postou outro artigo, também sobre a temática 'política e investimento' e que eu igualmente menciono como leitura recomendada:

Bolsa de Valores, Política e Cueca


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

terça-feira, 12 de agosto de 2014

[EN] Utensílio multifuncional


Olá a todos!


Embora eu não costume ver propagandas em vídeo (salvo os 'benditos' 5 segundos de propaganda do YouTube, do qual não há como escapar), concluí que há uma determinada propaganda que achei no Facebook que vale à pena ser vista.

Trata-se de um produto 'multifuncional' (ou 'multibocal'?), acoplável à furadeiras, que é capaz de abrir, rosquear e parafusar uma série de parafusos e assemelhados acabando com a necessidade de se ter 'kits' de ferramentas variadas para cada tipo de parafuso existente.

Para acessar o vídeo, clique aqui.

Agora é esperar pela eternidade desse produto chegar ao Brasil (tendo em vista o protecionismo excessivo à indústria nacional que temos por aqui).

Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

C. S. Lewis - Ensaio sobre onipotência


Olá a todos!


Recentemente topei com o site Respostas ao Ateísmo que conta, como um de seus artigos, uma menção ao Ensaio sobre Onipotência do intelectual cristão do século passado C. S. Lewis com alguns comentários do autor do site.

Leitura teológica recomendada! (especialmente para os que ainda insistem em coisas como o paradoxo da onipotência, um dos argumentos contra a existência de Deus mais "batidos" que existem e que, mesmo assim, muitos insistem em apresentá-lo como se fosse a "mais nova prova irrefutável" de que Deus [cristão] não existe)


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

10 razões para permanecer num mesmo emprego por um longo tempo


http://www.jornaldepomerode.com.br/polopoly_fs/1.1920866.1467233053!/imagens/14672331186630.jpg


Olá a todos!

O site Administradores recentemente publicou uma interessante matéria sobre a permanência no emprego listando 10 razões para permanecer num mesmo emprego por um bom tempo. Segue a reportagem na íntegra:


10 razões para ficar em um emprego por 10 anos ou mais
Quanto tempo você permaneceu em seu último emprego? Esta foi a pergunta que impulsionou a publicação de uma pesquisa recente do U.S. Bureau of Labor Statistics, na qual revelava que o tempo médio dos profissionais permanecem em seus empregos era de apenas 4,6 anos. E, diferente de tempos atrás em que os trabalhadores construíam suas carreiras em uma empresa, esta constatação já é considerada uma tendência.
Segundo o site Monster.com, o profissional que pula de emprego em emprego (mudar de empresa em menos de dois anos) é considerado um verdadeiro “assassino de carreira em potencial”, pois seu próximo empregador pode prestar atenção nisso antes de decidir contratá-lo ou não.
Pode haver uma série de pontos negativos no seu emprego atual, como ter dificuldade em realizar suas atividades, estar entediado ou não se dar bem com os colegas de equipe e chefes. Mas lembre-se que se você nunca está feliz com o trabalho e constantemente muda de emprego, talvez o problema não seja apenas da empresa.
Em uma matéria publicada na Forbes, o CEO da Fishbowl e escritor da HBR e Forbes, David K. Williams, diz que se o problema é tédio ou falta de interesse pelas funções que você exerce, antes de sair do emprego, você poderia procurar outras áreas da empresa. Se o problema são os colegas, talvez os errados não sejam eles, mas você. Sair do emprego precisa ser sempre a última opção, pois, aos olhos do seu próximo empregador, demonstra que você é instável, tem problemas de relacionamento e até é infiel com a empresa.
Se você ainda está em dúvida sobre os motivos de permanecer na sua empresa por 10 anos ou mais, Williams dá mais dez razões:

1. Veterano - Se você está em uma empresa há muitos anos, terá maior probabilidade de subir de cargo. Em vez de sempre ter de trabalhar em dobro para ser notado em uma empresa nova, estar no mesmo trabalho há mais de dez anos você acaba conhecendo mais seu cotidiano, todas as atividades, empregados e superiores, a chance de ser reconhecido e conseguir um alto cargo ou aumento salarial é maior.
2. Oportunidade de liderança - Com os anos de atuação da empresa vem a chance de liderar os outros recém-chegados e orientar, por ter grande conhecimento da empresa, suas novas funções. Com a convivência também constrói um público fiel de clientes e até mesmo os membros da equipe e faz de você naturalmente um líder, pois é o que mais sabe sobre a empresa. Será muito mais fácil dar ordens a novatos do que defender a autoridade que lhe foi atribuída em uma nova empresa, com empregados que estão há mais tempo do que você.
3. Estabilidade - Se você está preocupado em achar seu próximo emprego daqui um mês ou um ano, é difícil fazer planos de longo prazo, como comprar uma casa, carro ou construir uma família. Estar em uma empresa há anos dará mais estabilidade em sua carreira e deixará sua mente livre para pensar na sua vida pessoal.
4. Aposentadoria e férias - Mudar de emprego a cada um ou dois anos torna muito mais difícil fazer as contas para a aposentadoria. Outra coisa: considerando que as férias só poderão ser tiradas depois de um ano e se você não completa nunca esse período, quando terá descanso?
5. Mais benefícios - Passam os anos e os benefícios que a empresa oferece ao profissional aumentam. Fora aqueles previstos na CLT, como 13º salário, vale-alimentação e transporte, há benefícios informais que apenas com o tempo você percebe, como ter tempo mais flexível, poder chegar atrasado de tempos em tempos, construir amizades, entre outros. Também, muitas empresas estão aumentando os salários dos empregados que estão lá há mais tempo.
6. Autoajuda - É muito fácil pular para outro emprego sempre quando aparece um problema. Como já foi dito, ficar fugindo das preocupações não te fará crescer profissionalmente. Estar em uma empresa há mais de dez anos implica saber lidar com diferentes pessoas e possíveis crises e mudanças que a empresa pode passar. Com isso, você irá exercer o auto-conhecimento, tentar achar soluções para problemas e construir uma carreira madura.
7. Confiança - Se você é capaz de permanecer em uma empresa há mais de dez anos, você terá seus méritos. Tanto seus superiores como seus subordinados terão mais confiança no seu trabalho e a tendência é conquistar mais espaço na instituição.
8. Flexibilidade - Se engana quem pensa que estar em uma empresa há mais de dez anos não tem mais o que aprender. Os profissionais que trabalham no mesmo local há muito tempo acumulam funções e conhecimento não apenas de sua área. A diferença de aprender dentro da empresa e entre as empresas é que na primeira opção seus benefícios irão permanecer intactos.
9. Perseverança - Muitos diriam para pular fora do barco quando ele está afundando. Mas estes profissionais acabam manchando a própria imagem no mercado de trabalho. Ter perseverança, se doar para a empresa - de forma saudável - e procurar soluções para problemas apenas mostrará o quanto você é leal para a empresa. Mas, lembre-se que isso tem um risco. Saber o que está passando nelo e estudar sua situação é fundamental para salvá-la ou afundar junto.
10. Algo para dizer no futuro - Trabalhar anos em uma empresa ou procurar outras oportunidades irá depende dos seus objetivos profissionais. Há uma grande diferença entre ter um plano de carreira estabelecido para o emrpego atual e estar simplesmente acomodado. Empresas darão valor ao seu profissional se ele der valor as suas funções e realizá-las com vontade. O que você quer dizer para sua empresa daqui há dez anos?
Referência: Link


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil


(Se gostou, não se esqueça de compartilhar!)

[EN] Imagens transformadoras de perspectivas


Olá a todos!

Hoje compartilho um dos mais interessantes posts que já vi no Quora:

Iconic Images: What images will change the way a person sees the world after viewing them?


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

terça-feira, 5 de agosto de 2014

"Soquinho" ou aperto de mão?


Soquinho!

Pesquisadores notaram aquilo que, de certa forma, é bem evidente: cumprimentos com soquinho são mais saudáveis porque transmitem menos bactérias. Segue a reportagem:

Cientistas afirmam que cumprimento com “soquinho” é 90% mais saudável que aperto de mãos

Será que o tradicional aperto de mão está ultrapassado? Cientistas analisaram vários estilos de saudações e descobriram que cumprimentar batendo os punhos é muito mais saudável.
Os acadêmicos da Universidade Aberystwth, no Reino Unido, usaram luvas contaminadas com a bactéria potencialmente mortal E. coli e trocaram diversos tipos de contatos manuais. Após isso, eles descobriram que altas doses de germes foram repassadas pelo aperto de mão. No entanto, isso foi reduzido para apenas metade durante o high five e 90% ao bater os punhos.
Dr Dave Whitworth, professor sênior responsável pelo estudo, explicou que a natureza mais higiênica da colisão de punho foi em parte devido a sua velocidade, bem como a existência de uma área de contato menor.
“As pessoas raramente pensam sobre as implicações para a saúde de apertar as mãos, mas o público em geral pode ser incentivado a bater os punhos, com potencial verdadeiro para reduzir a propagação de doenças infecciosas”, afirmou ao Mirror.
Referência: Link


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

The New York Times e a legalização da maconha


Olá a todos!

Como muitos já devem saber, recentemente veio à público que o famoso jornal estados-unidense The New York Times apresentou matéria afirmando possuir (i.e. seus editores) uma posição favorável à legalização da maconha (para aqueles que estão "por fora", segue link para reportagem do Yahoo! sobre o assunto).

A pergunta que eu venho fazer é: e qual a importância disso?

Faço essa pergunta no contexto de a grande mídia ter dado grande atenção ao assunto publicando matérias e mais matérias como se "o NYT defender a legalização da maconha" fosse alguma coisa realmente relevante no debate sobre o assunto. Todavia, o fato me parece ser: a opinião desse jornal é totalmente irrelevante. 

Duas perguntas podemos fazer: 1) quem "é" o NYT? e 2) quais os argumentos apresentados?

A resposta para a pergunta 1) é "jornalistas e afins". Em outras palavras, longe de haver qualquer motivo para se surpreender com a relevância das suas opiniões, haja vista que tais não são necessariamente "treinados para pensar" - como os filósofos o são e alguns outros que o fazem por prazer, que é o meu caso. 

Já para a pergunta 2) o que temos é "os mesmos argumentos de sempre", a julgar as reportagens que li. Em defesa da sua opinião, o NYT não foi capaz de mostrar nenhum novo argumento (que eu tenha ficado sabendo) em defesa da legalização do consumo recreativo da 'erva natural', tão somente repetindo aqueles que, já estando há um bom tempo circulando nas análises opinativas acerca do tema, são sujeitos a críticas conhecidas e consideráveis (que hoje não pretendo expô-las e tampouco comentá-las aqui).

O ponto a que eu quero chegar: ignorem. Não os argumentos, digo, mas o 'incrível' fato de o NYT apoiar a legalização da maconha. Baseado no que afirmei acima, tal fato é, por si só, pouco relevante e totalmente indigno do considerável alvoroço que ganhou na mídia.


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil

[EN] Conselhos de Warren Buffet


Olá a todos!

Apesar de ter disconfiança quanto ao conselho sobre investimento (Warren não costuma diversificar muito, considerando isso coisa de quem "não sabe ou não tem segurança no que está fazendo"), segue uma imagem do 9GAG.com com alguns conselhos do megainvestidor Warren Buffet:

Conselhos de Warren Buffet
Observo que há uma importância primordial do primeiro conselho em relação aos demais no que diz respeito a se ter uma vida financeira ao menos minimamente saudável!


Que o Senhor seja com vocês,

Momergil